Seguidores

1.2.07

Voltando de Floripa...

Sobre amizades, sobre toques, sobre o tempo necessário para me perceber, sobre a descoberta de mim mesmo...


Aqui estão três pessoas lindas que eu só conhecia virtualmente e que tive o prazer de conhecer pessoalmente em Floripa: meu irmãozão Sílvio, sua esposa Sílvia e a nossa querida e linda Isabel (a Bel). Foi algo inenarrável ter encontrado essas três almas. Conversando com a Bel no MSN, após a minha volta, ela me falou da questão do toque; da necessidade que ela tem de tocar as pessoas, de lhes sentir o calor da pele, e de como ela pegava no meu braço enquanto caminhávamos lá em Floripa. Então, e só então talvez, comecei a me dar conta do quanto não nos permitimos o toque. O quanto temos medo do toque, da reação do outro ao nosso toque, do que ele poderá achar. E assim, nos fechamos em nossas vidinhas cheias de “não-me-toque”. A Bel ficou preocupada com o que eu poderia achar de seus apertos em meu braço enquanto caminhávamos. Eu achei ótimo. Também abracei e toquei muito meu irmãozão Sílvio, acariciei-lhe a barriga e a careca... Hehehehehehe... Foi bom. Foi muito bom.

Essa viagem, mais do que simples turismo, foi a ocasião para eu me repensar sob muitos aspectos. Foram 10 dias afastado do virtual. O que me fez rever certos posicionamentos, apagar alguns medos e soltar algumas amarras. O tempo necessário para o meu tão almejado “exílio do imaginário”. Percebi-me. Pus-me a nu. Literalmente. Fui, pela primeira vez, a uma praia de nudismo. E não só como observador. Tirei a roupa em público. E gostei. Adorei. Sentir-me nu, em contato com o vento, com a água do mar. E saber que ninguém estava nem aí para o meu corpo magro, encurvado e fora de forma. A Praia da Galheta vai ficar para sempre na minha memória como o momento mágico em que rompi meus limites. Foi bom. Foi muito bom.



Voltei um pouco diferente de quando parti. Mais seguro de mim mesmo. Mais confiante. Mais eu. Disposto a novas descobertas. A novas possibilidades. Encontrei amigos novos lá, amigos que só existiam no virtual. Reencontrei amigos antigos cá, ainda no virtual. E percebi, assim, que o virtual e o real são, por vezes, as duas faces de uma mesma moeda. Basta querermos. Foi bom. Foi muito bom.

De repente me veio à mente uma música da Vanusa, meio brega talvez, muito antiga, mas que traduz bem essa minha nova disposição para as coisas.


Mudanças

( Vanusa e Sérgio Sá)


Hoje eu vou mudar
Vasculhar minhas gavetas
Jogar fora sentimentos e
Ressentimentos tolos
Fazer limpeza no armário
Retirar traças e teias
E angustias da minha mente
Parar de sofrer
Por coisas tão pequeninas
(...)


Hoje eu vou mudar

Por na balança a coragem

Me entregar no que acredito

Pra ser o que sou sem medo

Dançar e cantar por hábito

E não ter cantos escuros

Pra guardar os meus segredos

Parar de dizer

"Não tenho tempo pra vida"

Que grita dentro de mim...

Me libertar


Hoje eu vou mudar

Sair de dentro de mim

Não usar somente o coração

Parar de contar os fracassos

Soltar os laços

E prender as amarras da razão

Voar livre

Com todos os meus defeitos

Pra que eu possa libertar os meus direitos

E não cobrar dessa vida

Nem rumos e nem decisões


Hoje eu preciso e vou mudar

Dividir no tempo e

Somar no vento

Todas as coisas que um dia sonhei conquistar

...



E foi bom. Foi muito bom...

5 comentários:

Bel disse...

Eu não consegui parar de sorrir enquanto lia seu blog atualizado... Senti uma felicidade imensa ao me deleitar com suas palavras, meu amigo!
Muito obrigada por essa sensação!
Eu te amo!

othoni disse...

Rever amigos que nunca vi, esse sonho, essa esperança dá-nos um gosto a mais para viver.
Sempre sonhei em rever lugares que nunca vi: São Petersburgo, Ushuaia, Polo Norte etc. olhava as fotos, os mapas e me encantava.
Agora é diferente, vejo gente, de carne e ossos, mas que não toco, não vejo e a saudade me aperta para quase sufocar. Já não é só um amigo virtual, é uma inteligência distante, viva interativa e bonita que me desperta a saudade, a ânsia de rever, insisto em rever pois já os ví, nas fotos, nos posts e nos meus devaneios.

"Vida" Andreia. disse...

Amei!! Ei de concordar que vivenciar o real após o virtual é maravilhoso. Assim que encontrei meu amor. Felicidade que hoje vivencio e agradeço ao mundo virtual....
Beijos!!

altairmalacarne disse...

Ed,
Que quarteto fantástico.
Você está todo frajola entre a careca do Sílvio e o brilho da Bel. Para arrematar, a nobreza da Sílvia.
Agora vejo que a felicidade tem endereço. Floripa.
E os toques da Bel. Devem mexer com nossas entranhas. Um dia eu chego lá. Nem que seja no céu do profeta.
Até.

Celia disse...

Ed
Depois de ler " Voltando de Floripa " ,os comentários dos amigos e ver as fotos também posso dizer : disfrutei tanto dessa viagem que nao fiz . Já tenho saudades de todos vocês.
Eso es amistad-istancia.
Bjs

Related Posts with Thumbnails